MOTIVAÇÃO

 

O que motiva as pessoas?  Sabemos que algumas pessoas têm energia e vontade tão fortes que estão sempre buscando algo novo em suas vidas, ao contrário de outras que não se mobilizam tanto ou quase nada.  Pensando nisto, na década de 60 o psicólogo americano Abraham Maslow, apresentou sua proposta que os seres humanos são dirigidos por algumas necessidades em determinadas ocasiões específicas durante o percurso da vida. Argumentou também que elas são organizadas em uma hierarquia, partindo das mais urgentes às menos urgentes. Nascia assim a famosa pirâmide de Maslow que assinala, em cinco níveis, o que motiva as pessoas a agirem no mundo.

Happy successful sportswoman raising arms to the sky on golden back lighting sunset summer. Fitness athlete with arms up celebrating goals after sport exercising and working out outdoors. Copy space.

Maslow afirma em sua teoria que a mobilização surge quando as necessidades não são atendidas. Então as pessoas agem na carência para suprir certas lacunas e sempre partem das necessidades básicas antes de se sentirem altamente motivadas a satisfazer outras.  Os cinco níveis, começando pela base da pirâmide e  indo para o topo, são:

  • Necessidades Fisiológicas: Essas são as mais básicas e estão ligadas diretamente à sobrevivência do sujeito – fome, sede, sono, sexo – e constituem a base primária dos desejos. Somente a partir dessas estarem plenamente satisfeitas é que será possível, ao sujeito, perceber outros estímulos. Então, primeiro, se busca manter a sobrevivência.

 

  • Necessidades de Segurança: Mais relacionadas à estrutura de segurança física como, por exemplo ter casa própria, mas também pode surgir como uma necessidade de segurança psíquica, onde o risco real não existe. As pessoas neste nível podem, por exemplo, economizar dinheiro numa poupança, ter planos de saúde, seguro de vida ou não sair de casa por medo de ser assaltado. Ela se movimenta para dar garantias à sua segurança.

 

  • Necessidades Sociais: Nesse plano surge a necessidade de sentimentos mais afetivos como pertencer à grupos, à família, ao clube, etc. Nos dias atuais (Maslow que me perdoe) essas necessidades podem estar sendo supridas de forma virtuais pelas atividades em redes sociais. Vemos aqui uma movimentação para ser aceito no grupo.

 

  • Necessidades de Estima: Basicamente relacionado ao status social. Desejos de prestígio, de reputação em seu ambiente, sucesso percebido e estima de seus pares. Essas pessoas podem buscar recursos para adquirir produtos como carros especiais, bebidas, joias, pois, que estas coisas, estão relacionadas pela sociedade como benefícios de status. O sujeito neste degrau da pirâmide busca reconhecimento.

 

  • Necessidade de Autorealização: Trata-se do nível mais elevado da pirâmide e também o que reúne o menor número de sujeitos, pois para se chegar neste patamar e necessário ter, todos os demais, satisfeitos. Aqui o indivíduo sente necessidade de desenvolver suas potencialidades, procura o autoconhecimento e autodesenvolvimento ligados ao crescimento do homem como tal. Na pontinha final da pirâmide o homem se volta para dentro, ele quer ser completo consigo mesmo.

Esses cinco níveis são muito usados pela psicologia, por profissionais de recursos humanos e são amplamente divulgados como parâmetro de comportamento universal. Claro que não é uma fórmula química ou uma equação matemática, pessoas são universos restritos e podem ter variações desses níveis. Usamos como uma amostra geral.

O que não se apresenta nessa teoria é porque algumas pessoas têm ausência de motivação mesmo sem terem solucionadas suas necessidades básicas. Não falamos de depressão doença que pode ser tratada com remédios e psicoterapia. Pensamos nas pessoas que colocam obstáculos imaginários à sua frente sempre que uma carência surge e, tornam impeditivos, qualquer movimento possível para sua elucidação.

Provavelmente está leitura não toca nenhuma dessas pessoas pois elas dificilmente teriam interesse em ler tantas linhas, já estariam sonolentas logo nos dois primeiros parágrafos. Portanto, se realmente este não é  seu caso, olhe-se nos cinco níveis citados e descubra onde você está e o que falta para que possa escalar mais um. Caso já esteja no último, sinta-se privilegiado, principalmente se conseguiu isto tendo total condição de saúde para aproveitar o que a vida tem de melhor: a alegria de ser feliz olhando-se no espelho. São muitos poucos que conseguem tirar do vento motivos para prosseguir, a maioria, tenha certeza disto neste país em que vivemos, ainda está preocupada com o almoço e jantar.

você pode gostar também Mais do autor

Comentários

Carregando....