PRINCIPAIS DIFICULDADES DE APRENDIZADO

Causas socioeconômicas, educacionais ou traumas não são, individualmente, suficientes para definir o porquê de alguns indivíduos possuírem as principais dificuldades de aprendizado listadas até os dias de hoje.

Os sintomas apresentados por determinados tipos de alunos se tornaram um padrão capaz de identificar dificuldades patológicas que inviabilizam a absorção completa e eficiente de conceitos ensinados.

Algumas áreas do cérebro, responsáveis pelo recebimento, filtração e assimilação do que é aprendido, podem ser comprometidas por causas biológicas, que, segundo psicopedagogos, atrapalham o cotidiano e futuro profissional de determinados indivíduos.

Em união com um bom relacionamento familiar e convívio social, tais pontos são passíveis de tratamento e não impedem, se tratados corretamente e de forma eficaz, a formação construtiva de competências e perícias.

Quais são as principais dificuldades de aprendizado?

Até o presente momento, as principais dificuldades de aprendizado incluem a constante atenção de professores e responsáveis, que podem identificar a tempo sintomas e encaminhar seus padecentes para avaliações com especialistas passíveis de identificá-las.

Conheça as mais famosas:

– Dislexia: é a dificuldade de conectar símbolos – sejam estes gráficos ou não – com seus significados e sintaxes. Existem também obstáculos na leitura, escrita e pronúncia destes signos.

– Dislalia: se dá pela dificuldade na pronúncia e articulação das palavras, gerando trocas, distorções e outros problemas na pronúncia. Se divide em dislalia evolutiva, dislalia funcional, dislalia audiógena e dislalia orgânica.

– Disortografia: geralmente aparece de forma conjunta à dislexia. O indivíduo com disortografia pode escrever textos curtos, não se ater à pontuações e até mesmo não sentir vontade de escrever, por apresentar dificuldades em fixar as regras da linguagem escrita.

– Disgrafia: se caracteriza pela dificuldade motora na grafia e escrita das palavras. A Disgrafia também afeta a coerência textual e a caligrafia, além de apresentar em seus indivíduos a dificuldade até mesmo de segurar o lápis e no traçado das palavras.

– Discalculia: gerado através de má formação neurológica, a descalculia ocasiona dificuldade na leitura de sinais matemáticos, equações e números. O portador não é capaz de compreender sequências, efetuar medições, contar e diferenciar valores (até mesmo de moedas).

– Transtorno de Déficit de Atenção e Hiperatividade (TDAH): é um transtorno neurobiológico que pode aparecer na infância. Afeta a atenção e o cotidiano, tornando o indivíduo ansioso, impulsivo e hiperativo sem necessariamente a existência de razões externas.

O TDAH é o transtorno com mais investimento em termos de pesquisa e ainda assim não há consenso sobre suas causas. Pode também surgir como o nome de Déficit de Atenção, por dificultar a concentração, sendo comumente nomeada como DDA justamente por apresentar a desatenção como sintoma.

Relacionamentos interpessoais e sua relação com as principais dificuldades de aprendizado

Ainda que não seja possível definir efetivamente como o convívio em sala de aula, em casa e no dia a dia pode atuar sobre das principais dificuldades de aprendizado, é sabido que há efeito na capacidade de incorporação de conceitos.

Análises feitas por especialistas em alguns indivíduos passíveis de dislexia e outras desordens afirmam que o excesso de ansiedade, cobranças, a desmotivação, uma rotina estressante e a alienação social são fatores que contribuem para o surgimento dos sintomas.

Integrar o aluno ao meio, aproximando-o de grupos que o ofereçam respeito, compreensão e estímulo para querer pesquisar mais é papel fundamental de professores e pais, responsáveis para designar educação de qualidade para seus filhos e pupilos.

Além disso, adaptar os métodos de transferir conhecimento a alunos detentores das principais dificuldades de aprendizado, adotando práticas e dinâmicas que contornem o estresse a que pode ser submetido um aluno nesta condição pode ser um caminho eficaz para a integralização.

Possíveis soluções para as principais dificuldades de aprendizado

Após o diagnóstico, cada item contará com um acompanhamento profissional e abordagem educacional diferente. As principais dificuldades de aprendizado convergem em profissionais para o acompanhamento, mas divergem em como são efetivamente abordadas.

A comunicação dos esforços e resultados alcançados deve ser constante entre pais e mestres, que auxiliarão de forma direta no processo. É necessário captar os padrões, através de um trabalho conjunto em casa e na escola e encaminhar o aluno ao profissional adequado.

Sessões com neurologistas, psicopedagogos, fonoaudiólogos, psicólogos e até mesmo psiquiatras são recomendadas, dependendo dos sintomas apresentados nas principais dificuldades de aprendizado.

 

 

 

você pode gostar também Mais do autor

Comentários

Carregando....