SONHOS: COMO ENTENDER MELHOR OS NOSSOS SONHOS

Nossos sonhos são como um amigo leal que fala sobre você, para o seu bem, mas, não sabe bem o nosso idioma e escreve muito mal. E, o que pode ser ainda pior: nem sempre o que é bom para ele é o melhor para nós!

Para identificar, nos sonhos, as informações necessárias no intuito de praticarmos mudanças nas nossas vidas é necessário ter a capacidade de decodificação dos elementos oníricos. Isso não é tão difícil, mas é preciso muita atenção e não se fazer julgamentos precipitados para acabar tendo uma leitura equivocada.

COMO SÃO OS SONHOS?

Um exemplo claro disso é quanto temos sonhos de conjunção carnal.

Às vezes podemos ficar perturbados, pois as pessoas envolvidas não poderiam, pela ordem moral, estar praticando tal ato e extraindo prazer dele. Isso pode criar, inclusive, angústia e sofrimento ao sonhador.

No entanto, o sonho não se preocupa com o corpo físico e, do seu jeito, ele simboliza uma união de personalidades, um apego psicológico.

Faz isso da maneira mais forte que tem em sua simbologia: sexo! Ou seja, sonhou que está fazendo sexo com alguém significa desejo de proximidade maior a nível psicológico, união de personalidades.

É possível ainda, segundo Jung, o psicodiagnóstico precoce de várias alterações psicológicas. O sonho alerta mesmo antes de surgirem no mundo vigil.

Um exemplo é o sonho que está chegando atrasado para uma prova ou para embarcar em um trem, avião.

Este sonho relata o nível de ansiedade que se avizinha.

Algo em seu comportamento diário está causando forte pressão e precisa ser revisto antes que o dano seja mais evidente.

SONHOS RUIM É BOM?

Sonho ruim é bom e sonho bom é ruim. As pessoas que estão próximas a morte sonham com coisas espetaculares.

Mesmo não estando cientes que vão morrer em poucos dias, seus sonhos, relatados, dão conta de compromissos a longo prazo.

Elas falam que sonham com casamentos, viagens longas, que estão entrando numa faculdade, que adotam uma criança.

Óbvio que nem todo mundo que sonha com isso está destinado a morrer em breve, mas isso demonstra o caráter compensatório dos sonhos.

Eles vêm para apaziguar a mente, um conforto já que nada mais pode ser feito.

O não lembrar dos sonhos é um elemento complicador, coisas da modernidade, de uma carga emocional tão grande que o mundo onírico, em suas elaborações, não dá conta de resolver.

Claro que existe solução, mas isso é outra longa história. Bons sonhos!

 

SAIBA MAIS AQUI

http://www.isec.psc.br

 

você pode gostar também Mais do autor

Comentários

Carregando....